Publicado em 1914, é considerado o principal livro de Raymond Roussel (1877-1933), autor que fascinou os surrealistas, os nouveaux romanciers e pensadores como Michel Foucault e Gilles Deleuze e que, segundo César Aira, através de seu procedimento, deixou, pela primeira (e única?) vez, a literatura nua. Tradução de Fernando Scheibe

Adquira
Dossiê Raymond Roussel. Editado por Fernando Scheibe e com textos de César Aira, André Breton, Georges Bataille, Robert Desnos, Michel Leiris, entre outros, esse número especial festeja o lançamento da tradução ao português de Locus solus.

Acesse